segunda-feira, 12 de setembro de 2011

Sobre o 11/9 midiático e outros discursos

Essa breve postagem era pra ser um comentário sobre uma inquietação da amiga Ludmila, postada na rede Facebook. Como ficou grande e eu introduzi uma segunda discussão, postei aqui no blog. Trata da forma como alguns noticiários quantificam que tragédia foi a maior da humanidade etc.

Pois bem... li uma das notícias do UOL ontem sobre o caso... tratava-se mais de uma transcrição do que uma matéria. A questão veio pelos comentários postados abaixo. Lá essa discussão quantificadora descambou para a questão do comunismo (com inúmeras citações das atrocidades do Stálin e outros da mesma linha), uma vez que o Obama colocou tudo numa vala comum. Acabou que ficaram duas discussões coexistindo... de um lado a defesa do ideário comunista sem entrar na discussão numérica (que era desnecessária, dado o número de pessoas que morre de fome e falta de água todo ano, vítimas da acumulação de riqueza, superar todas as guerras e terrorismos), do outro o "quem mata mais" cheio de citações ao "comunismo" chinês e soviético pós-guerra.

Tendo em vista as duas discussões, pra mim a questão que está colocada é bem objetiva: diante do fato de que as experiências soviética e chinesa tenham resultado em tanta atrocidade quanto à do próprio capitalismo, devemos deixar de lutar por uma nova forma de sociedade, não baseada na exploração e acumulação de riqueza?

5 comentários:

  1. Primeiro, não acho que dá para colocar a experiência Soviética no mesmo patamar da chinesa. Hoje a China é um dos paises que mais acumula capital! Mas isso é outra discussão...
    Independente do fracasso das duas, não tenho duvida da necessidade de lutar por outra forma de sociedade... =)

    ResponderExcluir
  2. shu-shu, talvez tenha ficado confuso mesmo, mas a questão a que eu me refiro não é a econômica, não coloquei isso no mesmo patamar (muito menos considerando os últimos 20 anos). Coloquei no mesmo patamar as atrocidades cometidas pelo estado soviético e pelo estado chinês. Valeu pelo toque! =*

    ResponderExcluir
  3. Mas colocar no mesmo patamar tudo o que Obama colocou deveria significar colocar também a quantidade de mortos nas (várias) guerras que os Estados Unidos se meteram nos últimos cem anos... Fora o que o capital financeiro gerou após a última crise financeira em todo o mundo - Europa, Àsia, África e nos próprios EUA.

    É óbvio, espero que continue o sendo para mim, que precisamos de uma transformação radical da sociedade, olhando para os GRAVES erros cometidos em nome de algo que nem de longe é uma sociedade justa e igualitária.

    Curiosamente, eu lembrei hoje de um texto neste blog teu e fiz a citação num novo post meu.

    ResponderExcluir
  4. Não, não devemos mesmo deixar de lutar por uma sociedade socialista. Todos os dias, em kda discussão e análise feita de qualquer q seja o fato do cotidiano, para além do 11/09, a conclusão que chego é que devemos sim superar o atual modelo de sociabilidade que vivemos. O tal atentado é mais uma janela para que possamos enxergar isso.

    ResponderExcluir
  5. Julinho, não conhecia seu blog. Atualiza! Bjo

    ResponderExcluir